top of page
  • Carlos Rio

A Raposa atrevida!

Atualizado: 10 de abr. de 2019

Lá no Alentejo mais interior, algures entre Amareleja e Barrancos, junto do rio Ardila, eu e o meu amigo Paulo Tavares montamos acampamento após estarmos abrigados do calor extremo do meio da tarde.

Depois de conhecermos dois simpáticos alentejanos a quem perguntamos se haveria problema por termos ali montado acampamento, ficou combinado um pic-nic oferecido pelos homens, lá mais para a noite, antes de eles irem levantar as suas redes que entretanto tinham montado no rio para uma noite de pesca (furtiva!!).

Decorria o pic-nic com a típica toalha aberta no chão e bem recheada de belos petiscos alentejanos, quando sem que nenhum dos quatro se tenha apercebido da aproximação, uma Raposa entra na "sala de jantar" e toca de abocanhar aquele belo naco de pão alentejano que estava a saber tão bem, deixando-nos espantados com tal descaramento ao mesmo tempo que fugia com o pão na boca passando entre mim e o Paulo que, sentados no chão, nem nos lembramos que era coisa para se fotografar! Quando lembramos levantamos e fomos a correr, cada um à sua tenda, buscar o equipamento fotográfico... E deu isto!

Depois da experiência surpreendente e tão emocionante, porque o foi, eu e o Paulo recolhemos às tendas e os simpáticos alentejanos partiram para a sua noite de pesca!

Durante a noite sentia-se que a raposa andava pelo nosso acampamento a vasculhar tudo o que deixamos fora das tendas, nada que nos tirasse o sono! Acordados por uma manada de vacas que bem cedo foi matar a sede ao rio, preparamos e tomamos o pequeno almoço e de seguida fomos fotografar, tendo ficado eu mais próximo das tendas, num abrigo, à espera de fotografar um Guarda-rios alentejano!

Já por volta das 09h00 ouvi um ruído próximo da minha tenda e espreitei pela janela do abrigo pensando que era o Paulo à procura de qualquer coisa para matar a fome! Mas não... era a nossa amiga Raposa que, sem qualquer receio, mais uma vez regressou ao acampamento e conseguiu abrir a tampa da mala térmica onde eu tinha guardado o pão de forma! Fez tudo com a maior das calmas sem se preocupar que eu tivesse saído do meu abrigo e a fotografasse à vontade!!! Aliás tão à vontade que tive que esperar que ela se afastasse lentamente para a conseguir enquadrar por inteiro!

E em vez de um Guarda-rios fotografei a nossa amiga ladra.



Comments


bottom of page